às 17:44:00

Trote Cidadão realiza ação educativa para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti no bairro Limoeiro

Uma parceria entre a Univaço e a Secretaria Municipal de Saúde de Ipatinga levou calouros da Instituição para mais uma edição do Trote Cidadão.

Uma parceria entre a Univaço e a Secretaria Municipal de Saúde de Ipatinga levou calouros da Instituição para mais uma edição do Trote Cidadão. O Programa que promove ações voluntárias nas áreas da saúde, educação e meio ambiente, voltadas à comunidade, realizou blitz e uma passeata educativa sobre a proliferação do mosquito Aedes aegypti, no bairro Limoeiro.

Local que de acordo com o 2º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), divulgado este mês, está entre os bairros que apresentam índice de infestação do mosquito de 3,8%. Indicador considerado alto em comunidades próximas da zona rural do município. Por isso, alunos juntamente com os Agentes de Controle de Endemias (ACE) alertaram moradores e comerciantes sobre a importância de combater o inseto, evitando os focos de água parada para sua reprodução e, consequentemente, doenças provocadas pelo transmissor como a Chikungunya, Dengue e Zika. 

Arboviroses com risco médio de transmissão no município, considerado acima do máximo preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1%, requerendo a atenção e o cuidado de todos, segundo o LIRAa. 

“Devemos conscientizar a população sobre a seriedade e importância do combate ao Aedes aegypti, precisamos estar alerta a todo momento. E o Trote Cidadão da Univaço está aí para reforçar essa ação junto com a Prefeitura de Ipatinga. É gratificante ver o empenho e a dedicação dos alunos abordando a comunidade e falando sobre este assunto que é tão sério e que pode ser evitado com cuidados diários simples. Além de ser uma oportunidade para eles vivenciarem um aprendizado que repercutirá futuramente na profissão médica”, ressalta a psicopedagoga da Univaço, Niura Sueli de Almeida Martins. 

A aluna Yasmin Caires achou a ação muito necessária no bairro. “Conversando com os moradores percebi o quanto elas curtiram a nossa presença. Foram receptivos, simpáticos e prometeram ajudar no combate ao mosquito. Sem contar que para nós estudantes é uma oportunidade única de conhecer a incidência das endemias do município e aprender a combatê-las, ” explica.

 




Fonte: